Falar sobre o Amor e sobre o Amar

@eumigo comigo mesmo

love2

Ah, o Amor!
Vem, deixa o rastro e some… Sim porque o estado de Amor é um episódio, um momento e não uma vivência sem fim….

Pensas que definir o amor é simples? Não te cegues, pois aposto que pensas que o amor é o diametralmente oposto de ódio, certo?

ERRADO!

O oposto do Amor é a indiferença. O ódio é uma distorção do amor, nada além. Ainda que sintas o teu coração frio com ódio, o sentes. Com a indiferença nada sentes, e, ai sim, reside o oposto do amor.

Amar é ter a certeza que mesmo não querendo você irá fazer algo que te faz bem simplesmente porque quem te ama te pediu.

Amar também é a certeza de ser amado. Sem essa de não haver correspondência: só amas se és amado. Amar sem ser amado é obsessão, o que em si não é amor, aliás, é falta de amor próprio.

Falando sobre amor próprio, creio que seja o mais difícil de ser sentido: amas o outro, as vezes até pelo que o outro tem e te falta, mas, não consegues te amar.

Fácil de te mostrar: respeitas teu corpo? teus sentimentos? tuas experiências? teus limites? Não né… Então, lamento te dizer: Não te amas! Ou pelo menos não te amas na plenitude do que poderias te amar. Doeu? Então tá, atingiu onde deveria.

Mas não te frustes, reconhecer que amas (alguém que não sejas tu) é o primeiro passo. Adiante encontrarás o teu amor numa curva – Naquela curva que perceberes que não podes dar aquilo que não tens.

Ter, neste caso, é o sentimento, a amplitude do teu coração já que não amas com teu ego, e, sim, com teu coração.

Mas no amor tem simpatia? Tem sim senhor. Tem Dedicação, sexo, Aceitação, cordialidade, respeito, estima, animação, exaltação, inspiração, proteção, Ressentimento, concordância, carinho e acima de tudo FOGO.

Aquele fogo que te deixa ativo, vivo, altivo, até mesmo monstruosamente VIVO!!! Ame, queime e se deixe queimar.

Pouco ou nada mais nesse mundo será mais potente que a certeza que o calor que sentes é o amor.

É na vida mesmo!

Leave a Reply